Notícias Palmeiras

Seja como for, Abel Ferreira vai descansar. O técnico Palmeiras nem ficou no banco na vitória por 3 a 0 sobre o São Caetano, nesta quinta-feira, no Allianz Parque. Motivo: Ir para o Porto, Portugal, para visitar a família. Após alguns dias de dificuldade em encontrar voos para a Europa, devido às restrições da pandemia, Abel Ferreira foi facilitado a seu retorno para casa pela Crefisa. Leila Pereira, dona do clube patrocinador, colocou os aviões da empresa à disposição do treinador. 

 

Quando soube das dificuldades do Abel em viajar para Portugal, propus o nosso avião. Fico muito feliz por poder contribuir para que nosso técnico encontre sua família em um momento tão complicado para todos nós. Mais uma vez, gostaria de dizer: “Abel, muito obrigado por dar a mim e aos milhões de torcedores do Palmeiras. Seremos eternamente gratos por isso ”, disse o consultor.

 

Abel partiu de Sorocaba para Portugal na última quinta-feira. Depois de uma escala no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, partiu para o Porto no Falcon 8X, que tem autonomia de voo sem escalas para a cidade portuguesa.

 

Além disso, após conversa direta com o Santos Borré na última terça-feira (9), o representante do Palmeiras na Argentina se reuniu nesta quarta-feira com os empresários do jogador (10). O clube o mandou para casa para tentar acelerar o contratante atacante, o sonho de Abel Ferreira, mas os comandantes do River Plate (ARG) aguardam a jogada do Palmeirense para o clube. 

 

Os agentes querem lidar diretamente com a administração, não com intermediários. O Verdão se considera dono da oferta mais atraente para a Borré, com contrato de quatro anos e pacote de R $ 80 milhões para todo o período. O colombiano tem contrato com o River até junho e deve deixar o clube.

Covid sendo inimigo do Palmeiras 

Vamos falar sobre notícias do nosso time: Vale ressaltar que diante do risco de o campeonato paulista ser suspenso a partir da próxima semana devido à pandemia do novo coronavírus, discute-se a mudança do país para outro local para que a competição não termine. O presidente do Palmeiras Maurício Galiotte dúvida que esta seja a melhor decisão. “Dizem que o futebol tem protocolos e cuidados melhores. 

 

É verdade, eu moro na Academia de Futebol, fazemos PCR dia sim, dia não. Identificamos alguém com a doença muito mais rápido e o isolamos. Agora estamos dentro da sociedade, “o futebol, embora seja isolado do treino, as pessoas estão saindo da Academia de Futebol.

 

“Posso jogar em outro lugar? É seguro? Existe uma viagem, um lugar para ficar. Tem logística, não é fácil. O cobiçoso problema não é apenas um lugar, estamos em crise em vários estados. Devemos ter muitas análises, muitas avaliações e com calma – acrescentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *